Projeto estrutural: o que deve conter?

Projeto Estrutural: o que deve conter?

Filipe Marinho Estruturas 2 Comments

Você precisa entregar um projeto estrutural para o cliente e se pergunta: que pranchas eu devo enviar para a obra?

Então, nesse post te ensinarei quais são os elementos que devem estar contidos nas pranchas de um projeto estrutural executivo.

Vamos lá?

Conceitos iniciais

Eu sei que pode parecer muito básico, mas vou te apresentar novamente o conceito de projeto estrutural e já te explicarei o porquê.

Como você já viu no post sobre etapas do projeto estrutural, o projeto estrutural é a documentação composta por um conjunto de pranchas com todas as informações necessárias para execução da estrutura da obra.

E sabe por que esse conceito é tão importante?

Porque é justamente ele que vai nos balizar do que deve conter nas pranchas do projeto.

Sempre que você tiver elaborando um projeto, se pergunte: com as pranchas que estou enviando para a obra, o construtor conseguirá executar a estrutura proposta?

Se a resposta for positiva, seu projeto está completo!

Para facilitar sua vida, vou fazer um checklist básico dos principais elementos que devem estar presentes em um projeto estrutural!

De maneira resumida, temos:

  • Planta de locação;
  • Armações das fundações;
  • Formas;
  • Cortes;
  • Armações das vigas;
  • Armações das lajes;
  • Armações dos pilares;
  • Armação das escadas;
  • Armação de reservatórios/piscinas.

Agora, vamos falar mais detalhadamente de cada um desses elementos, exemplificando-os com imagens, para facilitar sua compreensão.

Planta de locação

Planta de locação é geralmente o primeiro desenho de um projeto estrutural.

Ela é necessária para a correta locação dos pilares e fundações.

Geralmente, indico as escalas de 1:75 ou 1:50 para esse tipo de desenho. Abaixo, temos um recorte de uma planta de locação.

Exemplo de locação
Exemplo de locação

Como você pode perceber, existem os eixos verticais (V1 e V2 na figura) e eixos horizontais (H1 na figura), que são utilizados para marcar o gabarito da obra e auxiliar na locação dos pilares.

Além disso, temos cotas entre tais eixos e algum elemento fixo da obra, no caso da figura, o limite do terreno.

Outros dados necessários de uma planta de locação são as dimensões dos pilares e das fundações, pois a partir desses dados, haverá a escavação na obra.

Esse é apenas um tipo de planta de locação, mas você também pode locar os pilares e fundações a partir das coordenadas dos seus centróides, como na figura abaixo.

Locação a partir de baricentros de pilares
Locação a partir de baricentros de pilares

Não é o tipo mais usual de locação, mas utilizado, mas pode ser útil, principalmente quando há um topógrafo na construção.

Armações das fundações

Nos desenhos de armações de fundações devem ser contempladas todas as dimensões necessárias para a execução da fundação.

Além disso, devem ser informadas as armações de todas as fundações.

Como exemplo, segue abaixo o desenho do detalhamento de uma sapata isolada.

Exemplo de armação de sapata isolada
Exemplo de armação de sapata isolada

É válido lembrar que, além dos desenhos de todas as armações, deve conter um quadro de aço, em que são especificadas novamente todas as ferragens dos elementos e, por fim, apresentar um quadro resumo com o peso total de cada tipo de aço e bitola de cada prancha.

Formas

A planta de forma é aquela que representa a estrutura responsável por sustentar o respectivo pavimento.

Para esse tipo de planta, assim como para locação, sugiro o uso de escalas 1:50 ou 1:75.

Ilustração do que a planta de forma representa
Ilustração do que a planta de forma representa

Então, para que você tenha um melhor entendimento, abaixo segue um desenho de planta de formas de um projeto estrutural.

Detalhe de planta de forma
Detalhe de planta de forma

Perceba que na planta de forma as vigas e lajes são numeradas. Além disso, suas dimensões devem ser apresentadas na prancha de forma, para a correta montagem das formas na obra.

Caso haja algum desnível em algum elemento, tal desnível também deve ser representado nessa planta, bem como no corte do edifício, que falaremos adiante.

Prestando bem atenção na imagem, você pode me perguntar: Filipe, por que o P14 está com hachura sólida e o P15 está com hachura angulada? Eles tem alguma diferença entre si?

E eu respondo: tem sim!

É importante representarmos nessa planta se o pilar está nascendo nessa planta, se ele morre nessa planta, ou se ele simplesmente passa por essa planta.

Então, existem diversas nomenclaturas e modos de representar isso, uma das mais usuais é através de hachura, como na figura acima, cuja legenda está aqui embaixo.

Legenda de pilares em planta de formas
Legenda de pilares em planta de formas

É importante também, que seja perceptível para o engenheiro de obra, na planta de forma, qual a solução estrutural foi adotada para cada laje.

Usualmente, utiliza-se a representação apenas de altura para laje maciça, uma seta apontando a direção de laje nervurada unidirecional e uma forma representando cubas, em caso de laje nervurada bidirecional, como representado na figura abaixo.

Representação de lajes em projeto estrutural
Representação de lajes em projeto estrutural

No caso de lajes nervuradas, ainda é necessário representar quais as dimensões das nervuras e enchimentos, bem como o material do enchimento.

Cortes

Os cortes da edificação tem objetivo visual, para que o construtor consiga visualizar de maneira rápida e simples as cotas de cada pavimento, bem como se há desníveis em elementos estruturais e se algum pilar morre ou continua.

O corte serve de complemento para a planta de formas, de maneira que simplifique sua visualização.

Abaixo, apresento um exemplo do corte da estrutura de uma residência.

Representação do corte de edifício
Representação do corte de edifício

Armações

Os desenhos de armações são responsáveis por representar todas as armações presentes no projeto.

Para o melhor detalhamento, devem ser especificadas as bitolas, comprimentos e localizações de todas as ferragens.

Abaixo, vamos dividir em vários subtópicos, de acordo com os elementos estruturais, para que você possa compreender melhor o que deve ser detalhado em cada peça.

Armações de vigas

No desenho das armações de vigas, como dito anteriormente, devem ser especificadas suas armações, a partir de um esquema de uma elevação da viga, conforme figura abaixo.

Desenho de armação de viga em projeto estrutural
Desenho de armação de viga em projeto estrutural

Como você pode ver, geralmente também são explicitadas novamente as dimensões da viga.

Além disso, não foi mostrado na figura, mas deve-se representar um corte da viga em um, ou mais pontos, a fim de representar o arranjo das armações no interior da viga, bem como detalhar a armadura transversal (estribo).

Armações dos pilares

Assim como nas vigas, as pranchas de armações de pilares devem conter as dimensões dos pilares, além das bitolas, comprimentos e localizações das armações em seu interior.

Abaixo, segue um exemplo de detalhamento de um pilar em projeto estrutural.

Armação de pilar em projeto estrutural
Armação de pilar em projeto estrutural

Como você pode perceber, assim como nas vigas, também é indicado que seja feito um “corte” na seção transversal do pilar, a fim de apresentar a locação das armações no interior do pilar e melhor detalhar seus estribos.

Armações de lajes

Como já falamos anteriormente, as lajes podem ser maciças, nervuradas unidirecionais ou nervuradas bidirecionais.

Aqui, apresentaremos os detalhamentos de lajes maciças e lajes nervuradas unidirecionais.

Geralmente, as armações de lajes maciças são divididas em dois desenhos: um desenho para armações positivas e outro para as negativas.

Isso é feito para que o desenho não fique muito poluído e de difícil interpretação na obra.

Abaixo, segue um exemplo de armação de laje maciça.

Armação de laje maciça em projeto estrutural
Armação de laje maciça em projeto estrutural

Como já falamos anteriormente, para as lajes nervuradas unidirecionais, devemos especificar o tipo de nervura que será utilizado, bem como dimensões do enchimento.

Abaixo, apresentaremos algumas variações de detalhamentos para esse tipo de laje.

Primeiramente, apresentarei a representação de uma laje nervurada com nervuras em vigotas pré-moldadas, também conhecidas como volterranas, com enchimento cerâmico.

Corte esquemático de laje volterrana com enchimento cerâmico
Corte esquemático de laje volterrana com enchimento cerâmico

Perceba que nesse esquema, não aparecem as bitolas e comprimentos das armações contidas nas nervuras, por isso, também é necessário um quadro de ferro, com o resumo das ferragens em cada laje, bem como quantidade de vigotas por laje e possíveis contra-flechas nas mesmas.

Tabela de aço de laje volterrana
Tabela de aço de laje volterrana

Agora, apresentarei detalhes de lajes nervuradas treliçadas, com enchimento em EPS.

Basicamente, os mesmos detalhes devem estar contidos nas pranchas, ou seja:

  • corte esquemático da laje, apresentando dimensões das treliças e dos enchimentos.
  • Tabela de aço, com as treliças utilizadas em cada laje, bem como possíveis armações adicionais a essa treliça.

Abaixo, você encontra um exemplo disso.

Corte esquemático da laje treliçada em projeto estrutural
Corte esquemático da laje treliçada em projeto estrutural
Tabela de aço de lajes treliçadas
Tabela de aço de lajes treliçadas

Armações de escadas e reservatórios

Para finalizar o detalhamento do projeto, vamos falar um pouco sobre armações de escadas e reservatórios.

O detalhamento de escadas consiste basicamente na apresentação da forma da escada, com as dimensões da mesma.

Além disso, deve conter pelo menos um corte para cada lance da escada.

Nesse corte, devem ser especificadas as armações, como apresentado na figura abaixo.

Armação de escada em projeto estrutural
Armação de escada em projeto estrutural

Outra possibilidade é a presença de escada plissada (ou cascata), que também deve conter pelo menos um corte por lance de escada.

Armação de escada plissada
Armação de escada plissada

Caso a edificação que você está projetando tenha reservatório elevado em concreto armado, ou mesmo uma piscina, você também deve especificar tudo no projeto estrutural.

Você deve apresentar a elevação de todas as paredes do reservatório, com pelo menos um corte por elevação de parede, para mais fácil visualização e interpretação do projeto na obra, conforme figura abaixo.

Detalhamento de reservatório
Detalhamento de reservatório

Recado final

Bem, nesse post tentei te passar um pouco da minha experiência e te ajudar na elaboração de seus projetos estruturais.

Espero que tenha sido útil e, de fato, te ajudado =)

Agora, se você se interessa por esse ramo de projetos estruturais e quer dar início a sua carreira, tenho um recado pra você!

E se você já trabalha com isso, mas quer ter ainda mais segurança na elaboração dos seus projetos, esse recado também vale pra você!

Vocês perceberam que eu mostrei diversas imagens de projetos que já realizei, a fim de ajudar vocês. Pois bem, todos esses projetos, elaborei com o auxílio do software TQS, que julgo ser o melhor software para projetos estruturais no mercado atualmente.

E minha dica é justamente essa: domine o software que você utiliza!

E para dominar o TQS, recomendo fortemente que você considere o curso “Essencial em Concreto Armado” do Prof. Rangel Lage.

Nesse curso, ele aborda conceitos básicos de concreto armado e apresenta o software TQS mostrando suas funções e elaborando um projeto desde a concepção estrutural, até emissão de todos esses desenhos que eu mostrei no post!

Tenho certeza que você não irá se arrepender!

 

No mais, se você tem alguma dúvida, dica ou pergunta, só comentar aí embaixo que a gente sempre responde!

E não deixe de continuar seguindo nosso blog e de nos acompanhar também no YouTube.

Até a próxima, pessoal! =)

Comments 2

    1. Post
      Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *