Capa fossa séptica

Dimensionamento de fossa séptica

Filipe Marinho Saneamento Deixe um Comentário

Com certeza você já ouviu falar sobre fossas sépticas ou tanques sépticos no tratamento de esgotos residenciais.

Mas você sabe exatamente o que é, como funciona, quando deve ser usada e dimensionar fossas sépticas?

Então, te prometo que ao fim desse post você saberá responder a todas essas perguntas!

Vamos ao conteúdo?

O que é uma fossa séptica?

Em primeiro lugar, você precisa entender o que é um tanque séptico, popularmente conhecido como fossa séptica.

Segundo a norma NBR 7229/93, tanque séptico é uma unidade cilíndrica ou prismática retangular de fluxo horizontal, para tratamento de esgotos por processos de sedimentação, flotação e digestão.

Ou seja, de maneira um pouco mais explicada, as fossas sépticas tem o papel de separar a matéria orgânica presente nas partículas sólidas e digeri-la anaerobicamente. Após isso, o efluente pode ser lançado em receptores, como sumidouros ou valas de infiltração.

Além disso, a norma ainda apresenta que os tanques sépticos podem ser executadas com uma câmara única ou com uma série de câmaras.

Fossa séptica de concreto

Fossa séptica de concreto

E quando devo usar fossas sépticas?

Segundo a norma, o uso de fossa séptica é indicado quando:

  1. Sua área não tenha rede pública coletora de esgoto;
  2. Sua região possui rede coletora, porém a mesma apresenta diâmetro e/ou declividade reduzidos para transporte de efluente livre de sólidos sedimentáveis. Nesse caso, a fossa pode ser utilizada para retenção dos sólidos sedimentáveis;
  3. Além disso, os tanques sépticos também podem ser usados como alternativa de tratamento de esgoto em áreas providas de rede coletora local;

Vale ressaltar que a o sistema de fossas sépticas é indicado geralmente para tratamento de esgoto doméstico!

Cuidado!

Embora seja permitida a utilização de tanques sépticos, em alguns casos, para tratamento de esgoto sanitário, é proibido que águas pluviais ou qualquer outro despejo, como águas de piscina, sejam encaminhados ao sistema de fossas sépticas.

Além disso, tal sistema deve preservar a qualidade das águas superficiais e subterrâneas. Para isso, deve-se respeitar seguintes distâncias mínimas contidas na NBR 7229/93:

  • 1,50 m de construções, limites de terreno, sumidouros, valas de infiltração e ramal predial de água;
  • 3,0 m de árvores e de qualquer ponto de rede pública de abastecimento de água;
  • 15,0 m de poços freáticos e de corpos de água de qualquer natureza.

Dimensionamento de fossa séptica

Agora que já vimos muito da teoria sobre fossa séptica, vamos ao dimensionamento da mesma.

Você verá que o dimensionamento se trata de basicamente um dimensionamento geométrico. Mas vamos a formulação do volume útil da fossa séptica:

\mathrm{V=1000+N\cdot(C\cdot T + K\cdot L_f)}

Onde:

  • V: volume útil;
  • N:número de pessoas ou unidades de contribuição;
  • C: contribuição de despejos, em litro/pessoa x dia ou em litro/unidade x dia, segundo tabela 1 abaixo;
  • T: período de detenção, em dias, segundo tabela 2 abaixo;
  • K: taxa de acumulação de lodo digerido em dias, equivalente ao tempo de acumulação de lodo fresco, segundo tabela 3 abaixo;
  • Lf: contribuição de lodo fresco, em litro/pessoa x dia ou em litro/unidade x dia, segundo tabela 1 abaixo.

A seguir, são apresentadas as tabelas que serão utilizadas para determinação dos parâmetros apresentados anteriormente.

Tabela 1 – Contribuição diária de esgoto (C) e de lodo fresco (Lf) por tipo de prédio e de ocupante
Edificação Unidade Contribuição de esgotos (C) Lodo fresco (Lf)
1. Ocupantes permantentes
-Residência
Padrão alto Pessoa 160 1,0
Padrão médio Pessoa 130 1,0
Padrão baixo Pessoa 100 1,0
-hotel (exceto lavanderia e cozinha) Pessoa 100 1,0
-Alojamento provisório Pessoa 80 1,0
2. Ocupantes temporários
-fábrica em geral Pessoa 70 0,3
-escritório Pessoa 50 0,2
-edifícios públicos ou comerciais Pessoa 50 0,2
-escolas e locais de longa permanência Pessoa 50 0,2
-bares Pessoa 6 0,1
-restaurantes e similares Refeição 25 0,1
-cinemas, teatros e locais de curta permanência Lugar 2 0,0
-sanitários públicos Bacia sanitária 480 4,0

 

Tabela 2 – Período de detenção dos despejos, por faixa de contribuição diária
Contribuição diária (L) Tempo de detenção
Dias Horas
Até 1500 1 24
De 1501 a 3000 0,92 22
De 3001 a 4500 0,83 20
De 4501 a 6000 0,75 18
De 6001 a 7500 0,67 16
De 7501 a 9000 0,58 14
Mais que 9000 0,5 12

 

Tabela 3 – Taxa de acumulação total de lodo (K), em dias
Intervalo entre limpezas (anos) Valores de K por faixa de temperatura ambiente (t), em °C
t≤10 10≤t≤20 t>20
1 94 65 57
2 134 105 97
3 174 145 137
4 214 185 177
5 254 225 217

 

Pronto! Agora basta substituir os valores apresentados nas tabelas para determinar o volume útil de sua fossa séptica.

Vale ressaltar que o volume total da fossa é o volume útil acrescido de volume correspondente ao espaço destinado à circulação de gases no interior do tanque, acima do nível do líquido.

 

Determinação da geometria da fossa séptica

Então, se você já determinou o volume útil de sua fossa séptica, agora você precisa determinar as dimensões do tanque.

Como foi comentado no início do post, as fossas tem formato cilíndrico ou prismático.

De maneira geral, opta-se por tanques em formatos cilíndricos quando temos pouco espaço em planta, porém podemos executar o tanque com uma profundidade maior.

Já os tanques prismáticos são utilizados quando temos mais espaço para dimensões maiores em planta, porém, são executadas a pequenas profundidades.

Então, caso queira calcular as dimensões de uma fossa séptica prismática, como a apresentada na figura abaixo, você pode utilizar a seguinte formulação.

\mathrm{V=A\cdot B \cdot H}

Onde:

  • A: largura do tanque;
  • B: comprimento do tanque;
  • H: altura do líquido no interior do tanque.
Dimensões de fossa séptica prismática

Dimensões de fossa séptica prismática

Caso você queira dimensionar uma fossa séptica cilíndrica, é só utilizar a seguinte formulação:

\mathrm{V=\pi\cdot\dfrac{d^2}{4}\cdot H}

Onde:

  • d: diâmetro da fossa séptica;
Dimensões de fossa séptica cilíndrica

Dimensões de fossa séptica cilíndrica

 

Vale lembrar que você deve respeitar as dimensões mínimas, exigidas pela norma, bem como as relações entre as dimensões da fossa, seguindo as prescrições abaixo:

  • Largura mínima interna: 0,80m;
  • Diâmetro interno mínimo: 1,10m;
  • Relação comprimento/largura (para tanques prismáticos retangulares): mínimo 2:1; máximo 4:1;
  • A profundidade mínima deve seguir os valores da tabela abaixo.
Tabela 4 – Profundidade útil mínima e máxima, por faixa de volume útil
Volume útil (m³) Profundidade útil mínima (m) Profundidade útil máxima (m)
Até 6,0 1,2 2,2
De 6,0 a 10,0 1,5 2,5
Mais que 10,0 1,8 2,8

Embora não seja prescrição da norma, é usual deixar um espaço de pelo menos 20 cm acima da altura útil, correspondente a altura da escuma e gases presentes no tanque!

 

Pronto! Viu como é simples?

Seguindo as formulações e prescrições de dimensões mínimas presentes na norma, você conseguirá dimensionar sua fossa séptica.

Espero que você tenha entendido, mas caso tenha alguma dúvida, deixa nos comentários que a gente te responde!

E não deixe de continuar seguindo nosso blog e de nos acompanhar também no YouTube.

Até a próxima, pessoal! =)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *