Entenda o que é um pavimento asfáltico

Dandara Viana Transportes

Você está viajando, seu carro entra em um buraco, seu coração dói lá no fundo e depois você reclama que o asfalto é péssimo. Quem nunca?

Você quer saber como é feito o asfalto, quais suas camadas e tipos e porque, em alguns lugares, ele é realmente péssimo?

Então, fica com a gente!

O que é um pavimento asfáltico

Primeiramente, pavimento é uma estrutura composta pro várias camadas sobre a superfície final da terraplanagem, destinada a resistir aos esforços oriundos do tráfego de veículos e do clima e a garantir aos usuários melhores condições de rolamento, com conforto, economia e segurança.

Pois bem, dentre os tipos de pavimento existentes, são eles rígidos, semirrígidos e flexíveis, o pavimento asfáltico é caracterizado como pavimento flexível.

Esse tipo de pavimento se diferencia dos demais por apresentar deformação elástica significativa sob o carregamento aplicado em todas as camadas e, portanto, a carga se distribui em parcelas aproximadamente iguais entre elas.

Representação das cargas nos pavimentos.

Representação das cargas nos pavimentos

Dessa forma, o pavimento asfáltico é um tipo de pavimento flexível em que a camada de revestimento é composta por uma mistura constituída de agregados e ligantes asfálticos betuminosos.

Esses ligantes são os principais responsáveis pelas características do asfalto e são oriundos da destilação do petróleo e têm a propriedade de ser um adesivo termoviscoplástico, impermeável à água e pouco reativo.

Camadas do pavimento asfáltico

O pavimento asfáltico é constituído por quatro camadas principais: camada superficial asfáltica, apoiada sobre camadas de base, de sub-base e de reforço do subleito.

Camadas do pavimento asfáltico.

Camadas do pavimento asfáltico

Revestimento

O revestimento asfáltico é a camada superior destinada a resistir diretamente às ações do tráfego e transmiti-las de forma atenuada às camadas inferiores, impermeabilizar o pavimento, além de melhorar as condições de rolamento.

Base

A base é a camada sobre a qual se constrói o revestimento e é destinada a resistir aos esforços verticais oriundos dos veículos e distribuí-los adequadamente às camada inferiores.

Sub-base

É a camada complementar à base, quando por circunstancias tecnicoeconomicas não for aconselhável construir a base diretamente sobre a regularização.

Reforço do subleito

É uma camada de espessura constante, posta por circunstâncias tercnicoeconomicas acima da regularização do subleito, cuja função é evitar espessuras elevadas da camada de sub-base devido à baixa capacidade de suporte do subleito.

Em outras palavras, o reforço do subleito atual melhorando a capacidade de suporte do subleito de fundação do pavimento, de modo a reduzir a espessura da sub-base e evitar gastos excessivos.

Revestimento asfáltico

Existem diversos tipos de pavimento flexível asfáltico, que se diferenciam pelo tipo de revestimento existente na sua estrutura. Sendo assim, analisaremos agora a última camada do pavimento: o revestimento.

Componentes do revestimento asfáltico

Todos os revestimentos asfálticos são compostos por associações de ligantes asfálticos e agregados. Veremos agora o que constitui cada um deles.

Ligantes

Você sabia que o asfalto é um tipo de ligante e não um tipo de revestimento e que, diferentemente do que se pensa, seu uso não se restringe somente à pavimentação?

Pois bem, o asfalto é uma  mistura de hidrocarbonetos derivados do petróleo de forma natural, cujo principal componente é o betume, podendo conter ainda outros materiais, como oxigênio, nitrogênio e enxofre, em pequena proporção.

Devido a suas propriedade, ele é o tipo de ligante mais empregado no mundo.  Dentre essas propriedades podemos ressaltar o alto pode adesivo, a impermeabilidade e a baixa reatividade química.

Ligante asfáltico ou, simplesmente, asfalto.

Ligante asfáltico ou, simplesmente, asfalto

 Agregados

Conforme nós já sabemos, agregado é definido como material sem forma ou volume definido, geralmente inerte, de dimensões e propriedades adequadas para produção de argamassas e de concreto.

A novidade é que, assim como na construção civil, a pedra britada também é largamente utilizada na pavimentação.

No entanto, a seleção de agregados para utilização em revestimentos asfálticos depende de sua disponibilidade, custo e qualidade, bem como do tipo de aplicação.

Pedra britada de diferentes granulometria usada como agregado asfáltico.

Pedra britada de diferentes granulometrias usada como agregado asfáltico

Tipos de revestimento asfáltico

Os revestimentos asfálticos são classificados, de acordo com o Manual de Pavimentação do DNIT, segundo o método de associação entre os agregados e os materiais betuminosos, conforme a figura abaixo.

Classificação do revestimento asfáltico.

Classificação do revestimento asfáltico

Dessa forma, o revestimento asfáltico é classificado em revestimento por penetração, sendo subdividido em revestimentos betuminosos por penetração invertida e revestimento betuminoso por penetração direta, e revestimento por mistura, subdividido em pré-misturado a quente e pré-misturado a frio.

Vale ressaltar que, no Brasil, o tipo de revestimento asfáltico mais utilizado é o revestimento pré-misturado a quente. Ou seja, a mistura asfáltica mais usada é o Concreto Asfáltico (CA), também conhecido por Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ) de graduação densa, que é constituído de agregados de diversos tamanhos e ligante asfáltico, aquecidos de acordo com viscosidade desejada.

Revestimento betuminoso por penetração
Exemplo de um revestimento flexível por penetração.

Exemplo de um revestimento flexível betuminoso por penetração inversa

Tratamento superficial betuminoso

Nesse tipo de revestimento, a penetração do ligante asfáltico ocorre de maneira invertida, ou seja, de baixo para cima.

Dessa forma, o revestimento é executado através de uma ou mais aplicações de material betuminoso, seguindo do mesmo número de aplicação, espalhamento e compressão de camadas de agregados.

Macadame betuminoso

Nesse tipo de revestimento, a aplicação do ligante ocorre de forma oposta ao tratamento superficial, de cima para baixo.

Nesse caso, ocorre o espalhamento e compactação de camadas de agregados, sendo cada camada  submetida a uma aplicação de material betuminoso.

Revestimento betuminoso por mistura
Exemplo de um revestimento flexível betuminoso por mistura a quente.

Exemplo de um revestimento flexível betuminoso por mistura a quente

Pré-misturado a quente

Nesse caso, o agregado é pré-envolvido com o material betuminosos antes da compressão, geralmente em usinas de asfalto.

Essa mistura é feita a temperaturas elevadas, em torno de 100 °C, e o transporte e espalhamento do revestimento também devem ser feitos em altas temperaturas.

Pré-misturado a frio

No caso do revestimento pré-misturado a frio, o processo ocorre de forma semelhante ao pré-misturado a quente. A principal diferença é que a mistura pode ser feita na temperatura ambiente.

A que se deve a má qualidade do pavimento asfáltico?

Agora, respondendo à questão levantada no início do post, a má qualidade e durabilidade do pavimento asfáltico brasileiro se deve a uma série de fatores.

A falta de planejamento adequado, entre elas a pouca preocupação com a drenagem superficial do pavimento, é uma das principais causas.

O baixa qualidade do revestimento asfáltico em si, como espessuras de camadas subdimensionas com o intuito de diminuir custos é outra grande causa da baixa durabilidade. Além de reparos muitas vezes feitos de maneira inadequada.

Infelizmente, as causas são muitas!

 

Mas não fique triste, espero que esse post tenha ajudado a aprender o funcionamento do pavimento asfáltico, se quiser agora saber como é feito o dimensionamento de um pavimento flexível, clique aqui.

Caso você tenha interesse pela área de pavimentação e quer aprender ainda mais, indicamos o livro Pavimentação Asfáltica de José Tedeu Balbo.

Além disso, não deixe de seguir nosso blog aqui e no Youtube e se ainda ficou com alguma dúvida, deixe nos comentários abaixo!

Comments 4

    1. Post
      Author
  1. Parabéns Dra. Dandara, excelente material, estou inciando no ramo de asfalto e seus explicações já me oportunizaram um grande aprendizado.

    1. Post
      Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.