Elementos de um Canteiro de Obras

João Victor Construção Civil Deixe um Comentário

O canteiro é o cartão de visita de toda obra. Embora possuam caráter meramente provisório, é fundamental que o canteiro de obras, seja dimensionado, organizado e detalhado ainda no escritório central da empresa antes da sua efetiva instalação. Os aspectos de um canteiro de obras abrangem tanto questões logísticas e de organização como o atendimento a requisitos normativos e de segurança.

Na Construção Civil, para a obtenção de um nível de serviço adequado é necessária a adoção de novas posturas no ambiente onde serão realizadas as atividades.

Decisões iniciais

Como mencionaremos em momentos mais oportunos, há diversas ferramentas relevante a fim de atingir os níveis de serviço preliminares em uma obra. Podemos citar, por exemplo, o “Método 5S”, o Lean Construction, ou o uso de ferramentas da qualidade total.

O fato é que, independentemente da adoção de decisões gerenciais que resultem em uma organização e logística nos canteiros de obras, ainda há um núcleo mínimo de requisitos a serem atingidos. Em outras palavras, por mais que um canteiro de obras seja bem gerido, ainda assim haverá documentos e aspectos normativos a serem cumpridos para que seja considerado um espaço adequado.

layout inicial do canteiro de obras, por exemplo, contemplando previsão de dimensionamento das áreas de vivência é um dos documentos que integram o Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – PCMAT. Devendo constar, ainda, as áreas de acesso e de movimentação de veículos, área para instalação de elevadores de materiais e de passageiros, almoxarifado e áreas para a administração.

Também recomenda-se indicar em croquis as áreas de vivência em conformidade com o cronograma da obra. Com essas informações em mãos, podemos iniciar o nosso processo de instalação do canteiro.

Nessa instalação deve-se reduzir ao máximo o potencial de risco, e é recomendado que seja realizado um projeto racional que preveja, além da obediência às exigências legais, a criação de condições de segurança do pessoal da obra e de terceiros, incluindo o público em geral, propriedades vizinhas e serviços de utilidade pública.

Instalação de canteiros de obras

Cada canteiro de obras é projetado conforme as necessidades de cada projeto, podendo afetar diretamente na produtividade com a qual os serviços serão desempenhados ao longo da execução de sua obra. Sendo necessário, portanto, considerar áreas de circulação para operários e veículos, garantindo um fluxo contínuo de trabalho; bem como a previsão de circulação de veículos pesados para que mantenham uma distância adequada das escavações para evitar desmoronamentos.

Linhas de deslocamento para veículos dentro de um canteiro de obras

Linhas de deslocamento para veículos dentro de um canteiro de obras

Além disso, é importante, em zonas urbanas de movimento de pedestres, a colocação de tapumes ou barreiras, (“isolamento/encaixotamento” do canteiro) com tábuas alternadas ou chapas compensadas, de forma a impedir o acesso de pessoas estranhas aos serviços. Esses tapumes devem ser construídos e fixados de forma resistente, e ter altura mínima de 2,20m (dois metros e vinte centímetros) em relação ao nível do terreno.

Ainda nesse contexto, a ABNT NBR 7678 corrobora que deve ser seguida à risca toda a Legislação Municipal, Estadual e Federal relativa à construção de tapumes, plataformas e redes protetoras adequados, além de serem tomadas quaisquer outras medidas necessárias à prevenção da segurança de terceiros, incluindo o público em geral.

No dimensionamento de nosso canteiro há dois tipos espaços a serem considerados: o construtivo definitivo e o espaço provisório, que será devidamente demolido assim que exaurida sua finalidade.

Entende-se por espaço “construtivo definitivo” aquele destinado ao produto fim (casas, edificações, pontes, quadras esportivas etc). Já os “espaços provisórios” são aqueles que servem de meio para o alcance do produto fim, como é o caso das centrais de concretagem, escritório administrativo, almoxarifado e muitos outros.

Para a delimitação física do espaço construtivo definitivo, faz-se a chamada “locação da obra”.

Em obras de pequeno porte, a locação da obra pode fazer uso de metodologias simplificadas (usando nível de mangueira, régua, fio de prumo e treno ao invés de aparelhos de precisão mais sofisticados). Já em obras maiores, há o auxílio de ferramentas para o estudo topográfico e de uma Caderneta de Locação.

Dentre os métodos mais utilizados, destacamos o processo dos cavaletes e o processo com tábua corrida (tabeira).

alinhamentos são fixados por pregos cravados em cavaletes.

alinhamentos são fixados por pregos cravados em cavaletes.

Marcação sobre gabarito

Marcação sobre gabarito

Agora, quando falamos em construções provisórios, estamos nos referindo às áreas de vivência, onde o engenheiro terá seu escritório para a tomada de decisões durante a obra, por exemplo, bem como outras instalações necessárias para o desenvolvimento fluido e contínuo dos processos de trabalho.

Áreas de Vivência

A NR-18, ao dispor sobre as áreas de vivências de um canteiro de obras, versa sobre o obrigatoriedade da existência de instalações sanitárias, vestiário, local de refeições, cozinha (quando houver preparo de refeições), área de lazer, ambulatório – quando se tratar de frentes de trabalho com 50 (cinquenta) ou mais trabalhadores – e, finalmente, alojamento, lavanderia e área de lazer. Sendo estes três últimos obrigatórios nos casos em que houver trabalhadores alojados.

E-book Aprendendo tudo sobre o Diagrama de Pareto

Tenha acesso agora ao nosso e-book sobre o Diagrama de Pareto



E-book sobre Diagrama de Pareto

As áreas citadas acima são aquelas com previsão em norma, contudo, por conta da complexidade que cada canteiro de obras pode assumir, vários outros espaços correspondentes à produção serão necessários. Neste último caso, podemos dividi-los em elementos ligados à produção estacionária (estocagem e processadores) e elementos ligados à movimentação de materiais (flexíveis e pouco flexíveis). A título de curiosidade, abaixo separei alguns exemplos para que você tenha ideia do número de elementos que podem surgir a depender do grau de complexidades da obra.

  • Processadores: central de concretagem, pátio de armação (corte/dobra/pré-montagem), central de fôrmas, central de pré-moldagem, almoxarifado de ferramentas e almoxarifado de empreiteiros.
  • Estocagem: Estoque de areia (que pode ser feito em baias de agregados), estoque de argamassa intermediária, silo de argamassa pré-misturada a seco, estoques para cal em sacos, cimento em sacos, tubos e conexões, esquadrias, tintas, louças, metais, compensados para formas etc.
  • Transportes flexíveis e pouco flexíveis: carrinhos, “jericas”, porta-paletes, “dumpers”, bob-cat, talhas, sarilhos, elevadores de obras, guincho de coluna, balancim fachadeiro, gruas, torre giratória, guindastes sobre rodas ou esteiras etc.

Vamos tecer alguns comentários sobre alguns dos elementos mais importantes em obras:

1) Almoxarifado:

O almoxarifado serve para guardar ferramentas e equipamentos, bem como armazenar materiais que serão usados durante a construção. Para garantir a qualidade de alguns materiais como o cimento, por exemplo, deve-se garantir a estanqueidade do local de armazenagem. Sendo bem iluminado e dimensionado para comportar o volume de materiais necessários para a execução da obra.

Almoxarifado comum em canteiros de obras

Almoxarifado comum em canteiros de obras

2) Escritórios de obras:

É o e espaço destinado ao desenvolvimento de atividades administrativas, sendo comumente usado para reuniões. Geralmente é disposto nas laterais do canteiro, próximo ao acesso à obra. Os escritórios poderão ser construídos com barracões ou em contêineres. A NR-18 reforça que, tratando-se de adaptação de contêineres, originalmente utilizados no transporte ou acondicionamento de cargas, deverá ser mantido no canteiro de obras, à disposição da fiscalização do trabalho e do sindicato profissional, laudo técnico elaborado por profissional legalmente habilitado, relativo a ausência de riscos químicos, biológicos e físicos (especificamente para radiações) com a identificação da empresa responsável pela adaptação.

exemplo simplificado de barracão

exemplo simplificado de barracão

3) Portaria e guarita:

A portaria nem sempre está presente em todos os canteiros, principalmente quando se trata de canteiros em espaços reduzidos. Mas, ainda assim, está relacionado aos elementos de apoio técnico e administrativo.

Ela deve se situar junto à porta de acesso (obviamente) e ser suficientemente ampla para manter o estoque de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para os visitantes.

4) Local para refeições:

O local para refeições deve ter paredes que permitam o isolamento durante as refeições, constituído de piso de concreto, cimentado ou de outro material lavável, além de ter cobertura que proteja das intempéries.

Este espaço deve ter capacidade para garantir o atendimento de todos os trabalhadores no horário das refeições; ter ventilação e iluminação natural e/ou artificial; ter lavatório instalado em suas proximidades ou no seu interior; ter mesas com tampos lisos e laváveis; ter assentos em número suficiente para atender aos usuários; ter depósito, com tampa, para detritos; não estar situado em subsolos ou porões das edificações; não ter comunicação direta com as instalações sanitárias; ter pé-direito mínimo de 2,80m (dois metros e oitenta centímetros), ou respeitando-se o que determina o Código de Obras do Município da obra.

O local deve ter capacidade para atender a todos os trabalhadores no horário das refeições (considera-se 1,25 m² por trabalhador).

5) Vestiários:

Todo canteiro de obra deve possuir vestiário para troca de roupa dos trabalhadores que não residem no local, localizado próximo aos alojamentos e/ou à entrada da obra, sem ligação direta com o local destinado às refeições. Deve estar provido de armários individuais dotados de fechaduras e cabides.

6) Instalações sanitárias:

Entende-se como instalação sanitária o local destinado ao asseio corporal e/ou ao atendimento das necessidades fisiológicas de excreção. Elas devem ser equipadas com vasos sanitários (bacia turca ou vaso sifonado), mictórios, lavatórios e chuveiros. Para este fim, além dos barracos normalmente utilizados, pode-se instalar carros toilettes completamente equipados.

As instalações sanitárias devem ser construídas na ocasião da instalação do próprio canteiro de obras. Sempre que possível, será feita ligação provisória à rede de esgotos. Na ausência de coletores de esgotos, deve ser construída fossa seca, obedecendo a todos os cuidados exigíveis por esse tipo de construção.

A instalação sanitária deve ser constituída de lavatório, vaso sanitário e mictório, na proporção de 1 (um) conjunto para cada grupo de 20 (vinte) trabalhadores ou fração, bem como de chuveiro, na proporção de 1 (uma) unidade para cada grupo de 10 (dez) trabalhadores ou fração

 

Bom, estes são apenas alguns dos elementos que compõem um canteiro de obras. Poderíamos passar horas e horas detalhando cada um dos elementos citados acima, com aprofundamentos mais adequados, além de trazer novos espaços, pois – como eu disse – o grau de complexidade de um canteiro pode variar conforme o porte da obra. Mas, acredito que consegui trazer uma visão geral sobre aquelas áreas que eu julgo mais importantes. Quaisquer dúvidas, basta chamar. Até o próximo post.

Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *