Geometria de sapatas sob cargas centradas: exercício

José de Moura Estruturas 2 Comments

Se você chegou nesse post, eu imagino que já tenha estudado a teoria por trás da obtenção da geometria de sapatas isoladas. Correto?
Caso não tenha estudado ainda, recomendo bastante que acesse primeiro os conceitos para o cálculo das dimensões de sapatas isoladas.

Agora vamos a resolução de um exercício para fixar esse aprendizado.

Exemplo aplicado

Neste exemplo vamos calcular as dimensões de uma sapata que recebe um pilar de 20 x 40 cm, submetido a uma carga centrada de 500 kN (valor característico). A tensão admissível do solo para essa situação é de 300 kN/m² (0,30 MPa). Além disso vamos considerar que o concreto seja C30 (resistência característica de 30 MPa) e também que a armadura longitudinal do pilar seja composta de barras de 10 mm.

Exemplo para dimensionamento de sapata

Exemplo para dimensionamento de sapata

Caso você prefira ver essa resolução em vídeo é só conferir abaixo.

Cálculo da área de base de sapatas

Inicialmente, observamos que a ação informada de 500 kN não está separada em permanente e variável. Assim sendo, iremos considerar o coeficiente \mathrm{K_{maj}=1,05} para considerar o peso próprio da sapata nos cálculos.

Vamos agora calcular a área de base necessária para que a tensão atuante seja inferior a tensão admissível:

\mathrm{S_{sap} = \dfrac{1,05 \cdot N_{gk+qk}}{\sigma_{adm}}}

\mathrm{S_{sap} = \dfrac{1,05 \cdot 500}{300}}

A partir da equação acima obtemos uma área de base necessária de 1,75 m².

Obtenção das dimensões de base

A partir da área de base, é possível obter as duas dimensões da base da sapata ao considerar os balanços (abas) iguais (\mathrm{A - a_p = B - b_p}) nas duas direções:

\mathrm{B = \dfrac{b_p - a_p}{2} + \sqrt{ \dfrac{(a_p - b_p)^2}{4} + S_{sap} }}

\mathrm{B = \dfrac{40 - 20}{2} + \sqrt{ \dfrac{(20 - 40)^2}{4} + 17500 }}

Resolvendo essa equação chegamos em \mathrm{B = 142,6 \; cm}, que podemos aproximar o múltiplo de 5 superior, no caso, 145 cm.

Sabendo agora o valor da maior dimensão e conhecendo também a relação \mathrm{A - a_p = B - b_p}, é possível calcular o valor de A:

\mathrm{A = 145 - 40 + 20}

\mathrm{A = 125 \; cm}

Ao mesmo tempo, poderíamos apenas perceber que, seguindo a ideia de abas iguais, como a diferença entre as dimensões do pilar nas duas direções é de 20 cm, a diferença entre as dimensões da sapata nas duas direções também será de 20 cm. Logo, como a maior dimensão da sapata é de 145 cm, para garantir as abas iguais a menor dimensão será de 125 cm.

Dimensões de base da sapata

Dimensões de base da sapata

Cálculo da altura das sapatas

Chegamos então em uma sapata de 125 x 145 cm de base. O próximo passo é a obtenção da altura da sapata e da altura do rodapé a fim de garantir a rigidez da mesma. Uma vez que as abas são iguais nas duas direções, a verificação da rigidez da sapata pode ser realizada em qualquer uma das direções.

\mathrm{h \geq \dfrac{A - a_p}{3}}

Aplicando a condição de rigidez para as dimensões já encontradas, obtemos a altura necessária.

\mathrm{h \geq \dfrac{125 - 20}{3}}

\mathrm{h = 35 \; cm}

Como o resultado será inferior a 40, utilizaremos uma altura mínima recomendada de 40 cm.

Software Dimsap para cálculo de sapatas

Tenha acesso agora ao nosso software para cálculo de sapatas isoladas



Dimsap

Outra verificação que devemos fazer a se a altura encontrada é suficiente para a ancoragem da armadura longitudinal do pilar.

\mathrm{d> l_b}

Para uma barra de 10 mm e um concreto com resistência característica de 10 mm, obtemos um comprimento básico de ancoragem de \mathrm{l_b = 34 \; cm}.

Considerando que a altura útil seja \mathrm{d = h-5 = 35 \; cm}, esta altura será suficiente para ancoragem da armadura do pilar.

O próximo passo será o cálculo da altura do rodapé, nesse caso seguiremos com as formulações abaixo:

\mathrm {h_0 = \left\{ \begin{array}{ll} 15 \; cm \\ \dfrac{h}{3} \end{array} \right. }

\mathrm {h_0 = \left\{ \begin{array}{ll} 15 \; cm \\ \dfrac{40}{3} = 13,33 \; cm \end{array} \right. }

Dessa forma, seguiremos com uma altura de rodapé de 15 cm.

Nesse momento, já calculamos todas as dimensões da sapata. Em suma, obtemos um elemento de 125 x 145 x 40 x 15 cm.

Altura total e altura do rodapé

Altura total e altura do rodapé

Detalhes construtivos

Vamos resolver a seguir um conjunto de detalhes construtivos importantes para a execução da sapata.

Apoio para forma do pilar

O primeiro detalhe construtivo que vamos aplicar é o diferença entre seção de topo da sapata e a seção do pilar. Tal diferença é recomendada para que exista um apoio para as formas do pilar. Nesse resolução adotaremos um espaço de 5 cm para cada lado do pilar.

Apoio para forma do pilar

Apoio para forma do pilar

Região inclinada das sapatas

Vamos verificar agora se o ângulo da região inclinada da sapata é inferior ao ângulo de talude natural do concreto (\mathrm{\alpha = 30 \deg}), de modo que a concretagem possa ser feita sem a utilização de formas nessa região.

Ângulo de inclinação da sapata

Ângulo de inclinação da sapata

O deslocamento vertical para o cálculo do ângulo é:

\mathrm{\Delta_y = h - h_0 = 40-15}

\mathrm{\Delta_y = 25 \; cm}

Enquanto o deslocamento horizontal é:

\mathrm{\Delta_x = \dfrac{A - a_p}{2} - 5=\dfrac{125 - 20}{2} - 5}

\mathrm{\Delta_x = 47,5 \; cm}

Agora é possível calcular o ângulo da região inclinada da sapata apenas fazendo o arcotangente:

\mathrm{atan \left( \dfrac{\Delta_y}{\Delta_x} \right)}

\mathrm{atan \left( \dfrac{25}{47,5} \right) = 27,8º}

Logo, utilizando as dimensões escolhidas, é possível executar esta sapata sem utilização de formas na região inclinada.

Lastro de concreto sob sapatas

A norma ABNT/NBR: 6122 (2019) exige que a sapata seja concretada sobre um lastro de concreto não estrutural com espessura mínima de 5 cm. Dessa forma, consideraremos a espessura mínima recomendada de 5 cm.

Lastro de concreto sob sapatas

Lastro de concreto sob sapatas

 

O objetivo desse post foi fixar o conhecimento de dimensionamento geométrico de sapata através de um exemplo aplicado.

Se você ficou com alguma dúvida sobre o assunto, basta deixar nos comentários abaixo.


Fonte:

BASTOS, P. S. S. Sapatas de fundação. 2016 Notas de Aula.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6122: Projeto e execução de fundações – Procedimento. Rio de Janeiro, 2019.

Comments 2

    1. Post
      Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *